Paes aceita sugestão de comitê e passaporte da vacina será suspenso no RJ

Decisão acontece após recomendação de suspensão pelo Comitê Especial de enfrentamento da Covid-19 da prefeitura


Senhora mostra seu passaporte vacinal após receber a terceira dose da vacina contra a Covid-19 Foto: EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO


O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes confirmou nesta segunda-feira que o passaporte da vacina da Covid-19 será suspenso na capital fluminense.


A sugestão havia sido enviada à Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-Rio) pelo Comitê Especial de enfrentamento da Covid-19 (CEEC).


Os especialistas levaram em conta o cenário epidemiológico da cidade, mas a recomendação deve acontecer de forma temporária — monitorando o número de casos e óbitos, com possibilidade de revogação.


O secretário municipal de saúde Rodrigo Prado disse que a decisão teve como base o cenário atual favorável na cidade em relação a doença.


“Estamos com uma redução no número de casos e internações. Entendemos que essa estratégia (de cobrar o passaporte) já foi esgotada. A gente continua fazendo o monitoramento para ter subsídio para tomar as decisões, se algo mudar faremos alteração, por isso estamos chamando de suspensão temporária”, disse o secretário.


O passaporte é exigido em ambientes fechados como restaurantes, cinema e teatros da cidade. Esta era última medida sanitária ainda em vigor.


A cidade foi a primeira capital brasileira a retirar a obrigatoriedade de máscaras em locais abertos e fechados.


O CEEC também enfatizou a urgência em adquirir novas doses da vacina da Pfizer pelo Ministério da Saúde ao município do Rio, para que crianças e adolescentes sejam imunizados.


Segundo o secretário municipal de Saúde, o Rio tem hoje 63% do público alvo com a dose de reforço. Já em relação a segunda dose de reforço para pessoas com 80 anos a cobertura está em 36%.


A partir da próxima quarta-feira (27), o calendário será estendido para a vacinação de idosos com 70 anos ou mais. Aqueles com mais de 60 anos, que receberam a primeira dose de reforço há pelo menos seis meses, poderão ser imunizados a partir do dia 11 de maio.

Uma nova reunião do Comitê está prevista para acontece no dia 16 de maio.


Fonte: CNN Brasil