Vacina contra coronavírus não será obrigatória, diz Ministério da Saúde

Em coletiva de imprensa, governo disse que imunização deve começar em janeiro de 2021.

O debate sobre a obrigatoriedade de uma possível imunização contra o coronavírus está em alta desde que o presidente da República, Jair Bolsonaro, disse que “ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina”. 


Durante coletiva de imprensa do Ministério da Saúde, nesta quarta-feira (2), o secretário-executivo Élcio Franco Filho disse que a vacina é “um grande instrumento para voltarmos à nossa normalidade”.


No entanto, o secretário reafirmou que ninguém será obrigado a tomar a vacina.

Ele disse ainda que o primeiro lote da vacina do consórcio Oxford/Astrazeneca deve ser distribuído no Brasil em janeiro de 2021:

“É o projeto mais avançado e reconhecido. Todos os esforços estão sendo feitos. A previsão é que os primeiros lotes estarão sendo entregues em janeiro de 2021, se tudo der certo.”

Segundo a rádio Jovem Pan, Franco Filho completou:

“A partir da absorção da tecnologia pela Fiocruz, eles terão independência científica e capacidade de produzir as vacinas a partir do final do primeiro semestre de 2021, em torno de 30 a 40 milhões de doses ao mês.”
4 visualizações