Vacinação contra Covid chega a nove meses no Estado do RJ com 60% da população totalmente imunizada



Mais de 20 milhões de doses foram aplicadas em menos de um ano; e quase meio milhão de pessoas já receberam dose de reforço contra o coronavírus


O Estado do Rio de Janeiro completa, nesta segunda-feira (18.10), nove meses da maior campanha de vacinação da história, com mais de 20 milhões de doses aplicadas.


Entre 14 e 20 de março de 2021, período que compreende a semana epidemiológica 11 e o pico de transmissão da terceira onda da Covid-19 no território fluminense, foram registrados 30.974 casos da doença. Quase nove meses após o início da vacinação, entre 26 de setembro e 02 de outubro (semana 39), foram contabilizados 1.690 casos: redução de 94%. Nesse mesmo período, também houve queda nas internações (-81%) e nos óbitos (-73%).


- O Estado do Rio de Janeiro tem muito a se orgulhar do caminho percorrido até aqui e do sucesso que tem sido a campanha de vacinação contra a Covid. Antes de completar a vacinação dos adolescentes, iniciamos também a aplicação da dose de reforço dos mais vulneráveis, como idosos e imunossuprimidos, e dos profissionais de saúde. O cenário atual é de tranquilidade e estabilidade devido à ciência e a todos aqueles que dedicam a vida ao SUS - avalia Alexandre Chieppe, secretário de Estado de Saúde do Rio de Janeiro.


De acordo com o Localiza SUS, Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), o ERJ aplicou mais de 455 mil doses das vacinas contra a Covid-19 como reforço. Do total, 381 mil foram em pessoas com 60 anos ou mais, 47 mil em trabalhadores da saúde e 15 mil em pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas, entre outros grupos prioritários.


Em setembro, o estado do Rio teve o menor número de óbitos provocados pelo vírus desde o início deste ano. No último mês, foram contabilizados 2.306 óbitos, 23% a menos do que o registrado em agosto, quando 3.028 mortes foram notificadas e a variante Delta se tornou predominante no estado. Em abril, período de maior mortalidade da doença no estado, foram 7.494 vidas perdidas, 69% a mais do que o contabilizado em setembro. Até o dia 15 de agosto, apenas 268 mortes foram contabilizadas.

1,835 visualizações