Lula é eleito presidente do Brasil pela terceira vez com mais de 60 milhões de votos

Petista derrota Bolsonaro, o primeiro presidente no exercício do mandato a perder a reeleição. Chefes de estado e de governo reconheceram a vitória de Lula na eleição e mandam recados


Neste domingo (30), dia do segundo turno da eleição, Lula (PT) foi eleito presidente da República pela terceira vez. Com 99,95% das urnas apuradas, o petista teve 60.313.340 (50,90%) dos votos válidos e foi para a Avenida Paulista comemorar com os eleitores. O perdedor, o presidente Jair Bolsonaro (PL), teve 58.189.292 (49,10%) dos votos válidos.

Lula teve mais de 2 milhões de votos do que o segundo colocado e bateu seu próprio recorde. Em 2006, Lula teve 58.295.042 votos, numericamente a maior votação da história do Brasil.

Enquanto o petista é o primeiro brasileiro a ser eleito três vezes presidente pelo voto direto - venceu em 2002 e 2006 -, Bolsonaro é o primeiro presidente a perder uma reeleição no exercício do mandato.

Esta é a quinta eleição do PT para a chefia do país, desde 2002, duas vezes com Lula e duas com a ex-presidente Dilma Rousseff (2010 e 2014).

No primeiro turno Lula teve 52,7 milhões de votos (48,43%), contra 51 milhões de Bolsonaro (43,2%). A maior votação do petista foi na Região Nordeste, onde teve 66,7% dos votos, contra 29,7% de Bolsonaro.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, parabenizou Lula pela eleição e afirmou, em postagem no Twitter, "que está ansioso apra trabalhar junto". Veja no final, outras mensagens de líderens internacionais.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também cumprimentou Lula por meio de postagem no Twitter. Parabéns Lula pela vitória. Venceu a democracia, venceu o Brasil", disse FHC.


A senadora Simone Tebet (MDB-MS) também fez uma postagems parabenizando Lula. A postagem no Twitter diz: "As urnas falaram, venceu a democracia e a verdade".


A volta de Lula

Lula volta ao Palácio do Planalto três anos depois de deixar a prisão em Curitiba, no Paraná, onde foi condenado sem crime e em provas pelo ex-juiz Sérgio Moro, suspeito, segundo o Superior Tribunal Federal (STF), em todas as ações contra o petista. Moro mandou prender Lula em plena campanha eleitoral de 2018, quando ele estava a frente nas pesquisas de intenções de voto, depois virou ministro do candidato que ajudou a eleger, Jair Bolsonaro. Em 2021, todas as decisões tomadas por Moro foram anuladas pelo STF, o que liberou Lula para retornar a vida política.

Chefes de estado cumprimentam Lula

Chefes de estado e de governo reconheceram a vitória de Lula na eleição para a Presidência do Brasil, neste domingo.

O presidente francês Emmanuel Macron parabenizou a vitória de Lula no pleito: "Parabéns, meu caro Lula, por sua eleição que dá início a um novo capítulo da história do Brasil. Juntos, vamos unir nossas forças para enfrentar os muitos desafios comuns e renovar o vínculo de amizade entre nossos dois países".

António Costa, primeiro-ministro de Portugal, escreveu no Twitter que já de já deu os parabéns a Lula e que vê sua vitória de forma otimista.

"Já tive a oportunidade de felicitar calorosamente Lula pela sua eleição como Presidente da República do Brasil. Encaro com grande entusiasmo o nosso trabalho conjunto nos próximos anos, em prol de #Portugal e do #Brasil, mas também em torno das grandes causas globais", afirmou Costa.



O prêmier da Espanha, Pedro Sanchez, afirmou que os brasileiros optaram pelo "progresso e esperança".

"Parabéns, Lula, pela vitória nesta eleição na que o Brasil decidiu torcer pelo progresso e a esperança. Vamos trabalhar juntos pela justiça social, a igualdade e contra as mudanças climáticas. Seu sucesso vai ser do povo brasileiro", escreveu Sanchez.